Veja quais são os 7 tipos de tendinite e as formas de tratamento | SOS Dr
SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

A tendinite é caracterizada por uma inflamação ou irritação de um ou mais tendões. Eles são responsáveis por estabelecerem a ligação entre músculos e ossos e transferirem a força para o esqueleto. São compostos por fibras de tecido conjuntivo de colagénio, as quais têm pregas quando não estão em esforço e permitem um amortecimento da transferência de força para os ossos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma a cada 100 pessoas sofre com o problema.



Entre as principais causas da tendinite está a LER (lesão por esforço repetitivo). Ela ocorre quando a pessoa usa muito uma determinada parte do corpo de maneira inadequada, seja para realizar trabalhos que exigem força, mexer repetitivamente no celular, digitar no teclado do computador, escrever ou dirigir.




Fonte: freepik/imagens




Tipos de tendinite


Os principais tipos de tendinite, são:




1. Tendinite no pulso



A tendinite no pulso ou tendinite no punho refere-se a uma inflamação que gera dormência, formigamento e rigidez no punho, além de dor quando há movimentação. Essa lesão costuma ser mais comum em pessoas que fazem atividades repetitivas e manuais, como costurar, por exemplo.




2. Tendinite de Quervain (Tendinite no polegar)



A tendinite de Quervain é uma inflamação que atinge o tendão que liga o polegar ao punho. A tendinite de Quervain costuma afetar mulheres entre 30 e 50 anos e em grande parte dos casos, lesiona apenas uma das mãos. A dor irradia do pulso ao polegar ou antebraço.




3. Tendinite na mão


Além das tendinites no pulso e no polegar, também é possível desenvolver uma tendinite na mão. A lesão abrange o dorso, parte de trás da mão e causa inchaço, ardência e formigamentos.




4. Tendinite no braço


Atividades como tocar instrumentos musicais, cozinhar, lavar roupa e limpar a casa por longos períodos, podem levar ao surgimento da tendinite no braço. O problema pode trazer dificuldades para movimentar o braço, principalmente para cima, fraqueza e dificuldade em em carregar objetos com mais peso.




5. Tendinite no ombro (Tendinite do Manguito Rotador)


A tendinite no ombro surge quando um tendão do ombro fica inflamado, gerando sintomas como dor no ombro, sensibilidade ao toque e dificuldade nos movimentos por conta da articulação. A lesão costuma ser mais comum em pessoas que praticam esportes como musculação, tênis, natação, vôlei, handebol, basquete e crossfit. Em casos mais graves, é preciso imobilizar a região com tipoia para total recuperação e realizar fisioterapia.



6. Tendinite no joelho (Tendinite Patelar)


A tendinite patelar é uma inflamação no tendão que liga a patela (osso arredondado que fica na frente do joelho) à tíbia (maior osso da perna). O problema tende a atingir pessoas ou atletas que realizam atividades de grande impacto para os joelhos, como saltos e corridas constantes, futebol, vôlei, basquete e crossfit.


Além disso, pessoas com sobrepeso e obesidade e/ou sedentárias, também costumam sofrer com a tendinite patelar devido à sobrecarga do peso nos joelhos. Em casos graves, é necessário intervenção cirúrgica. Alguns sinais e sintomas da tendinite no joelho, são:


Hoffite: aumento do volume da almofadinha logo abaixo do joelho;

Sinovite: aumento do volume líquido do joelho. É chamado de derrame articular ou “água no joelho”;

Condromalacia: randido ao dobrar e esticar o joelho.



7. Tendinite no pé (Tendinite de Aquiles)


A tendinite no pé também é chamada de tendinite de Aquiles ou tendinite do calcâneo e caracteriza-se pela inflamação e degeneração do tendão de Aquiles (interliga o calcanhar à panturrilha.) Em relação aos sintomas, a dor costuma aparecer principalemente ao andar e se levantar, pois são movimentos que forçam a região afetada.


70% das pessoas que desenvolvem o problema são corredores ou praticantes de outros esportes que envolvem a corrida. Além disso, também pode ocorrer devido ao excesso de carga em treinos de musculação, uso frequente de calçados sem elevação do calcanhar e uso frequente de salto alto, já que pode levar a um encurtamento da musculatura da panturrilha.




Como prevenir a tendinite?


A melhor maneira para se combater a tendinite é a prevenção. Sendo assim, procure realizar pausas regulares entre as suas atividades rotineiras que demandam movimentos repetitivos. Além disso, realizar atividade física, fazer alongamentos diariamente e se policiar quanto à postura também, são essenciais. Vale lembrar, que caso você pratique uma atividade física de maior impacto para o corpo, é importante procurar um especialista para que ele possa lhe indicar exercícios específicos para proteger os tendões.




Como a tendinite deve ser tratada?


Ao identificar os sintomas da tendinite, deve-se consultar um ortopedista para que ele possa fornecer as devidas orientações. O tratamento tem como intuito aliviar a dor e reduzir a inflamação. Além disso, também pode variar de paciente para paciente. No entanto, de maneira geral o tratamento inclui:



• Descanso da articulação;

• Uso de bolsas de gelo ou toalha morna sobre a região afetada

• Analgésicos como o ibuprofeno, receitados pelo médico;

• Imobilização da região afetada;

• Realizar sessões de fisioterapia para acelerar o processo de cicatrização do local e diminuir a inflamação.