Obesidade: a comida como compensação e a lentidão do metabolismo | SOS Dr
SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

A obesidade é um dos problemas de saúde que mais cresce na atualidade. O Brasil figura a quinta posição entre os países com mais obesos no mundo, ficando para trás somente dos Estados Unidos, China, Índia e Rússia. Segundo dados do IBGE (Instituto brasileiro de geografia e estatística), o índice de pessoas obesas ou com sobrepeso no país beira os 60%. Isto é, cerca de 82 milhões de pessoas apresentaram o IMC igual ou maior do que 25


Fonte: envato imagens



Existem diversos fatores que podem contribuir para a obesidade, entre eles a alimentação inadequada, sedentarismo, problemas hormonais e até psicológicos. De acordo com a Dra. Camila Garcia, graduada em Medicina pela Universidade de Marília (UNIMAR), a principal causa do aumento desenfreado do peso está relacionada a  ansiedade e a dificuldade de controlar o apetite. Segundo ela, as pessoas comem mais do que deviam, apresentando uma espécie de justificativa para isso. Um dia cansativo no trabalho, um momento de tristeza ou algum acontecimento específico para comemorar. “O alimento acaba se tornando uma espécie de compensação”, afirma a doutora.




Para quem deseja vencer a obesidade,  um grande aliado na perca de peso é o metabolismo. Um metabolismo acelerado é fundamental para o emagrecimento. Isso porque, ele se caracteriza pelas reações químicas que acontecem no nosso corpo, garantindo as necessidades estruturais e energéticas de um ser vivo. A massa muscular é responsável pelo o aumento do metabolismo basal, ou seja, a quantidade calórica que o organismo precisa para sobreviver.  "Sendo assim, quanto maior for a quantidade de massa, maior será o gasto energético", finaliza a médica.



Para acelerá-lo, o ideal é apostar na prática regular de atividade física, beber bastante água, de preferência gelada e incluir uma dieta saudável, rica em alimentos naturais como frutas, legumes, verduras, proteínas e gorduras boas. Os termogênicos também podem ser utilizados para essa aceleração, no entanto é necessário consultar um profissional antes de iniciar seu uso, já que o mesmo, pode causar alterações na frequência cardíaca.



Cabe ressaltar, que a facilidade de ganho de peso pode estar associada a uma predisposição genética responsável  pelo  biotipo corporal de cada indivíduo. Entretanto, os fatores externos possuem uma  maior influência. “A questão ambiental está mais relacionada à obesidade, do que a genética propriamente dita”, conclui Camila. Ela explica que para uma pessoa que está num processo de emagrecimento, viver num ambiente em que as pessoas comem muito  e que sempre armazenam uma grande quantidade de comida, se torna ainda mais complicado emagrecer. Tal ambiente, retrata o caso de muitas famílias brasileiras, nas quais, os pais são obesos e por consequência, os filhos acabam seguindo o mesmo caminho. Para reverter esse quadro, o ideal seria a família toda adotar hábitos saudável e principalmente, diminuir a ingestão dos chamados fast-foods.