O que você precisa saber para prevenir a insuficiência renal | SOS Dr
SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

Quando o assunto é “cuidados com os rins”, é muito comum ter uma associação automática ao consumo de água. De fato, a água está diretamente ligada a manutenção desse órgão. Como os rins são responsáveis por filtrar o sangue e deixar o organismo mais limpo, a ingestão de água contribui para o transporte de nutrientes e eliminação de toxinas. 


Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), atletas de altíssimo rendimento devem ingerir de 8 a 10 litros de água por dia. Já o consumo médio para um indivíduo adulto e saudável varia entre 2 e 3 litros de água por dia. Porém, é importante frisar que a quantidade ideal é relativa a fatores como peso, idade, estilo de vida e até mesmo certas doenças podem influenciar na quantidade necessária a ser consumida. Mas além da ingestão de água, existem outros cuidados importantes na prevenção da insuficiência renal. Confira!







Como manter uma boa função renal?




1. Mantenha a pressão arterial sob controle



Estar com a pressão frequentemente com valores acima dos 140/90 mmHg é um dos mais importantes fatores de risco para lesão dos rins. Quanto mais elevada for a pressão, maior é o risco. Sendo assim, se alimentar de frutas, legumes, nozes e beber água é muito importante para a saúde renal, mantendo a pressão arterial sob controle.




2. Fique atento aos níveis de glicose no sangue



A diabetes está na lista das principais doenças causadoras da insuficiência renal crônica, pois compromete a sua capacidade de filtragem. Os elevados níveis de açúcar fazem com que os rins filtrem muito sangue, sobrecarregando os órgãos e levando a perda de proteínas na urina.


Apesar da diabetes ser incurável, pode ser controlada. Atualmente, para pacientes portadores da doença, o recomendado é manter a hemoglobina glicosilada abaixo de 7%.




3. Maneire no sal



Como os rins são responsáveis por equilibrar os níveis de sal no organismo, o consumo excessivo de sal de cozinha pode prejudicar a função renal, como o aparecimento do cálculo renal. Por isso, evite alimentos embutidos, refrigerantes, macarrão instantâneo e similares, já que a grande quantidade de sódio presente pode contribuir para esse tipo de problema.




4. Mantenha um peso saudável



A obesidade é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças renais, incluindo a doença renal crônica (DRC). Estar muito acima do peso influencia o desenvolvimento de DRC, entre outros fatores, porque predispõe à nefropatia diabética entre outras complicações sérias envolvendo o funcionamento renal.




5. Evite o consumo de cigarro e álcool



O tabaco presente no cigarro provoca pequenas lesões e obstruções nos vasos por onde o sangue corre, o que contribui para o surgimento dos problemas de pressão e de doenças renais. Já a ingestão exagerada de álcool pode aumentar a diurese (produção de urina), provocando desregulação da concentração de eletrólitos no sangue, elevação da pressão arterial e alteração no funcionamento do órgão.




6. Não se esqueça da atividade física



A realização de atividade é benéfica para a saúde como um todo, especialmente os rins. Os riscos de desenvolver diabetes e hipertensão tornam-se muito menores e a prática reduz o risco do surgimento de pedras nos rins. Além disso, exercitar-se diariamente estimula a ingestão de mais água, estimulando um bom funcionamento renal. Inclusive, pacientes com algum tipo de doença renal podem adiar o declínio da função dos rins por meio da prática de exercícios regulares.




7. Cuidado com infecções urinárias



Manter a higiene genital adequada é uma fundamental para prevenir infecções urinárias e manter a saúde dos rins.



8. Evite medicamentos que fazem mal aos rins



O uso prolongado de alguns medicamentos e sem recomendação médica, como anti-inflamatórios e analgésicos, podem contribuir para o desenvolvimento da insuficiência renal. Por isso, não faça automedicação.



9. Fique de olho nos sintomas



Náuseas e vômitos, cansaço, inchaço, alteração de cor na urina e/ou presença de sangue são alguns dos indicativos de problemas renais. Procure um médico, caso identifique qualquer um desses sinais no seu corpo.




10. Faça exames de sangue e urina anualmente



Como os sintomas da insuficiência renal crônica costumam aparecer num estágio mais avançado, realizar exames é uma forma de diagnosticar a doença precocemente. Dessa forma, as chances de sucesso no tratamento serão maiores. Análises de urina e a dosagem da creatinina sanguínea são as únicas formas de detectar a doença renal nas fases assintomáticas.