SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

Beijar se tornou símbolo de vários sentimentos, pode ser um beijo cheio de paixão, amor, carinho. Ele pode ser afável, delicado ou até mesmo despretensioso. A verdade, é que beijar, além de manter a chama da relação acesa, também pode fazer muito bem para a saúde.




(Canva imagens).


Mas quais são esses benefícios?



Segundo estudos realizados nos Estados Unidos, a neurocientista Wendy Hill, do Lafayette College verificou que o beijo aumenta a produção de ocitocina, o mesmo hormônio que instiga vínculos entre o bebê e a mãe. O beijo diminui o estresse e age na liberação de endorfina, substancia responsável pela sensação de bem-estar, conforto, melhor estado de humor e alegria.



Além de tudo disso, beijar pode proporcionar vantagens que você nem imagina. Anota aí!



Oxigena o sangue


Sabe aquele beijo intenso que até chega deixar o coração mais acelerado? Então, é justamente esse aumento dos batimentos cardíacos melhora a oxigenação do sangue;



Movimenta os músculos


É um ótimo exercício para a face, pois movimenta 29 músculos, sendo 17 só da língua. Alguns dermatologistas apontam que esse esforço muscular pode ajudar a manter o rosto mais jovial, além de deixar a pele mais firme, prevenindo assim, o envelhecimento.



Aumenta a imunidade


Pesquisadores acreditam que a troca de beijos, antes da gravidez, é uma forma de introduzir vírus no corpo da mulher, em pequenas doses, fazendo com que o organismo crie uma resistência a esses pequenos vírus, de acordo com a Popular Science. Interessante, não? Beije muito, futura mamãe. Claro, respeitando as recomendações médicas.



Alivia sintomas de alergia


Se você tem crises com espirros e coriza causados por alergias sazonais, e não por doenças contagiosas, o beijo pode ser uma alternativa interessante para melhorar essas crises. Um estudo japonês descobriu que casais que se beijaram por 30 minutos tinham menores níveis de IgE, proteínas que desencadeiam sintomas como espirros e coriza.


É bom para a higiene bucal


Existe uma razão para o beijo, aquele beijo, ser chamado de "beijo molhado". O que acontece é que esse tipo de beijo estimula a produção de saliva, que pode limpar as bactérias nocivas presentes na boca, e ainda reduz o acúmulo de placas bacterianas. Pensar nisso te deu um certo nojinho? Mas ninguém vai se atentar a esses detalhes quando estiver beijando, não é mesmo?


Estimula os sentidos


Não é à toa que o ser humano beija de olhos fechados. Este ato funciona como um disparador para as sensações corporais. Beijar inclui o tato por meio do toque dos lábios e do encontro corporal; olfato, estimulado ao sentir o cheiro da pessoa que está com você; paladar, representado pelo gosto do beijo; a audição, que permite ouvir a respiração e os ruídos que fazem parte de um bom beijo. Todos esses sentidos ficam ainda mais aguçados quando a visão é suspendida.



Melhora a autoestima


Um simples beijo pode implicar em várias sensações, como o ato de conquistar e ser conquistado, seduzir e ser seduzido, dar e receber amor. Isso tudo possibilita mais autoconfiança e consequentemente aumenta a autoestima.




Beijar também exige alguns cuidados



Apesar dos diversos benefícios que o beijo pode proporcionar, também é por meio dele que algumas doenças podem ser transmitidas como infecções por vírus, bactérias e fungos que são passados através da saliva ou gotículas de saliva. Embora essas enfermidades, geralmente serem de curta duração e curarem sozinhas, em algumas pessoas, podem ocorrer complicações, como a propagação da infecção para outros locais do corpo e até mesmo prejudicar o cérebro.



As principais doenças que podem ser transmitidas pelo beijo são:



  1.  Herpes ;
  2.  Sífilis ;
  3. Cárie ;
  4. Catapora;
  5.  Caxumba ;
  6.  Gripes e resfriados ;
  7. Mononucleose infecciosa ;
  8.  Meningite ;
  9. Candidíase ;


Para que o contágio dessas doenças seja impedido, é recomendado evitar o contato íntimo e beijos com pessoas desconhecidas ou sem relação de confiança. Embora as feridas na boca seja um sinal visível de que há algo errado, na maioria das vezes não dá para saber se a pessoa está ou não doente.