SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:




Se você anda sem muita vontade de transar e se sente mal por isso, calma! A culpa não é sua. Existem fatores que vão além de questões psicológicas ou problemas no relacionamento que podem alterar a libido. 


O nosso corpo realiza centenas de reações físicas e químicas o tempo todo, e isso a curto e a longo prazo gera mudanças significativas. O período menstrual, a menopausa e a andropausa são resultados disso. E nesse cenário, os hormônios são protagonistas, pois tais reações não seriam possíveis de serem realizadas sem eles.


Como o período menstrual influencia no desejo sexual?











O desejo sexual nesse momento varia de mulher para mulher. Como é um período de maior vulnerabilidade, há aquelas que sentem sem vontade alguma devido as alterações do corpo, como inchaço, cólica, mudanças de humor, entre outros. Por outro lado, muitas mulheres declaram se sentirem com mais vontade. Isso se explica pela queda brusca de estrógeno e progesterona e também pelo fato da testosterona estar em alta, principal hormônio responsável pelo aumento da libido. Além disso, o clitóris fica mais sensível, o que facilita a indução de orgasmos.


Menopausa e Andropausa








A menopausa é marcada pelo fim do ciclo menstrual e se caracteriza pela falência dos ovários. Com isso, o hormônio estrogênio entra em decadência, o que pode reduzir o fluxo sanguíneo para a vagina e fazer com que os tecidos dessa área, incluindo os lábios, tornem-se mais finos, tornando-os menos sensíveis ao estímulo sexual. A diminuição do fluxo sanguíneo também afeta a lubrificação vaginal e a excitação em geral. Dessa maneira, uma mulher pode não desfrutar tanto do sexo e ter dificuldades para alcançar o orgasmo. Além disso, o sexo pode se tornar um incômodo e até mesmo doloroso.

Já a andropausa ou mais conhecida pelos urologistas como Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM) é o momento em que a produção de testosterona masculina diminui. Esse hormônio além de ser vital para a as funções de reprodução do homem, também é responsável por controlar a saúde e o bem-estar físico e mental. Geralmente, esse declínio se dá a partir dos 45 e 50 anos, entre os sintomas desencadeados podemos citar: redução do desejo sexual, menos ereções espontâneas, aumento da gordura corporal, redução da massa e da força muscular, diminuição da densidade óssea, inchaço na região dos mamilos, mudanças emocionais e alteração no padrão de sono.


Existem diversos tratamentos para amenizar os efeitos das disfunções hormonais em nosso corpo, como a reposição hormonal por exemplo. Mas isso é algo que dever ser discutido juntamente com um médico, e assim analisar o que melhor se adequa ao seu caso.


Referências:

https://gauchazh.clicrbs.com.br/donna/sexo-e-relacionamento/noticia/2016/03/libido-em-baixa-saiba-quais-as-causas-e-como-tratar-cjpl6d6fq004ewscnx8xz5rqe.html

https://www.abcdasaude.com.br/sexologia/perda-da-libido-baixo-desejo-sexual

https://www.pfizer.com.br/noticias/andropausa-o-que-eh-e-como-lidar

https://www.hospitalsaocamilosp.org.br/sua-saude-agradece/voc%C3%AA-sabe-o-que-%C3%A9-andropausa