Descubra quais são os prós e contras do protetor íntimo | SOS Dr
SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

Será que usar protetor íntimo faz mal à saúde íntima? Pode favorecer o surgimento de fungos ou bactérias? É realmente seguro? É comum encontrar mulheres que possuem esse tipo de dúvida sobre o produto. Por isso, hoje nós iremos falar sobre os prós e contras do protetor íntimo e acabar de uma vez com essas dúvidas. Vamos lá?




(Foto: freepic fotos)



Prós



Em primeiro lugar, é preciso deixar bem claro que o protetor íntimo não é uma versão mini do absorvente. Os dois são frequentemente confundidos, porém, enquanto os absorventes menstruais possuem uma barreira plástica mais espessa, o protetor de uso diário é feito de material respirável com microporos que permite a ventilação e não interfere na flora vaginal, nem no pH de acordo com estudos realizados. Sendo assim, pode ser usado todos os dias tranquilamente.


O corrimento vaginal, especialmente na segunda metade do ciclo menstrual, costuma ter um maior volume, gerando incômodo para algumas mulheres, já que pode sujar a calcinha ou deixar a região muito úmida. Nesse sentido, o uso de protetores diários pode ajudar a manter a calcinha limpa, amenizando o desconforto.


Além de auxiliar na higiene íntima, os protetores diários podem proporcionar mais liberdade para a mulher, como na realização de atividade física ou em dias repletos de compromissos, por exemplo.


Um estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) avaliou usuárias de protetores diários por 75 dias e observou que 92,8% delas afirmaram que se sentiram mais seguras, confiantes e limpas com a utilização diária do protetor.


Além disso, foi possível constatar que quando utilizado corretamente, o produto não aumenta as chances de infecções, a exemplo, a candidíase. Por conta de seu material respirável e permeável, dificilmente haveria algum tipo de alteração na região íntima. Muito pelo o contrário: ele ajuda a prevenir possíveis infecções normalmente causadas pela umidade que pode ficar na calcinha.




Contras




Alguns ginecologistas são contra o uso diário dos protetores íntimos. Segundo eles, o produto deve ser utilizado somente nos dias em que há um pequeno fluxo menstrual, isto é, no começo ou no final da menstruação. Ou ainda, para situações específicas, como durante o tratamento com algum creme vaginal que possa sujar a calcinha.


Outro ponto discutido pelos ginecologistas é sobre os problemas que podem ser causados pelo uso desses protetores, são eles: impedir uma boa ventilação na região íntima, causar um aumento na temperatura local, gerar perturbações na flora vaginal e levar a alterações no pH local, favorecendo a proliferação de fungos e bactérias.




Cuidados adicionais que você deve ter com a sua região íntima:



• Caso utilize o protetor íntimo, ele deve ser trocado sempre que sinta necessidade. Porém, é indicado é substituí-lo, pelo menos, duas vezes ao dia;


• Evite usar roupas muito justas e apertadas que possam dificultar a circulação de ar;


• Dê preferência para as calcinhas de algodão, pois garantem que a pele da vagina consiga “respirar” e manter a flora vaginal saudável e em equilíbrio;


• Utilize sabonetes neutros: evite produtos com aromas ou composições fortes. Escolha sempre o neutro para a fazer a limpeza vaginal;


• Tire a calcinha: dormir sem melhora a circulação, ajuda a arejar a área vagina e previne problemas ginecológicos;


• Procure um ginecologista sempre que for realizar alguma mudança envolvendo sua saúde íntima.