Descubra agora porque a autocobrança é tão prejudicial | SOS Dr
SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

Será que você está se cobrando demais? Pensamentos como “Eu deveria ter feito melhor”, “Acho que não sou bom o bastante”, “Eu deveria aguentar um pouco mais”, são característicos de pessoas que cobram muito de si mesmas.


A autocobrança é natural de cada ser humano e faz parte da vida. Uma vez que, ter um senso de cobrança é importante para evoluir, sair da zona de conforto e dar conta das atividades do dia a dia. No entanto, quando ela se torna excessiva e recorrente, começa a trazer diversos malefícios, como estresse, ansiedade, cansaço e sensação de fracasso.




Vejas alguns sinais da autocobrança




Fonte: Freepik Imagens



1) Sempre acredita que não fez o suficiente



Algumas pessoas, mesmo sendo notoriamente inteligentes, experientes e dedicadas, têm uma percepção distorcida de si mesmos, acreditando que sempre há mais alguma tarefa pendente ou que deveriam ter feito mais. Porém, nunca é o bastante, o que acaba gerando frustrações e exaustão.




2) Duvida da própria capacidade



A pessoa começa a acreditar que todos possuem mais potencial, um exemplo seria o pensamento de que os seus colegas de trabalho são melhores. E mesmo depois de se dedicar e realizar inúmeras especializações, o sentimento de dúvida em relação a própria capacidade ainda persiste. 




3) Sofre quando recebe críticas



As críticas, mesmos que construtivas costumam não ser bem recebidas por indivíduos que são extremamente exigentes consigo mesmos. A crítica, nesse caso, não representa algo que pode ser trabalhado ou melhorado, mas sim uma falha. É por isso, que para esse tipo de pessoa, receber críticas é tão dolorido.




4) Se culpa quando erra



Pessoas que costumam ser muito perfeccionistas, geralmente possuem grande dificuldade em lidar com situações que não saíram de acordo com o esperado. Um exemplo seria se culpar quando não foi bem ou não atingiu a nota máxima numa determinada prova. Isso já seria o motivo suficiente para se culpar pelo resto do dia ou pela semana. Nesse sentido, o sentimento de falha é remoído constantemente.




5) Se sente culpado por descansar



Diante de tantos afazeres e obrigações, reservar um período para descansar pode parecer um desperdício de tempo para quem costuma se cobrar demais. Porém, descansar está totalmente relacionado com o desempenho mental e físico, no qual a sua falta pode gerar sintomas como a diminuição da memória, dificuldade de absorção de novas informações, aumento do cortisol (hormônio do estresse), irritabilidade, insônia, dores de cabeça ou coluna, entre outros.




6) Tenta sempre agradar a todos



Tentar fazer de tudo para agradar as pessoas ao redor é um grande sinal da autocobrança, principalmente quando a pessoa não faz isso por ela mesma, mas sim para deixar outras pessoas satisfeitas. Esse tipo de atitude ainda costuma estar atrelada a uma constante necessidade de aprovação, tanto de amigos, familiares ou colegas de trabalho.




O que fazer em relação à autocobrança excessiva?




Se você chegou até aqui, significa que já pode refletir um pouco mais sobre a autocobrança, e a reflexão é o primeiro passo para reconhecer e entender o problema. Se você deseja ser uma pessoa menos perfeccionista e ter um grau de autocobrança normal e saudável, o primeiro passo é: não se cobre a respeito sobre parar de se cobrar. Parece redundante e óbvio, mas às vezes até o óbvio precisa ser dito.


Procure ir se observando gradualmente, com um olhar mais cuidadoso e generoso sobre si mesmo, saiba reconhecer suas conquistas. Valorize cada desafio que você enfrentou, desde os menores até os mais difíceis. Nesse sentido, vale a pena você encontrar quais são seus pontos fortes e suas habilidades, mas sem se comparar com os outros.


No mais, coloque sua saúde emocional e mental acima de tudo. E isso envolve: aprender a lidar com a sua vulnerabilidade, aceitar seus limites, perceber qual é o seu ritmo e estar ciente sobre quem você é. Permaneça em constante evolução, e se desenvolva sem a necessidade de se forçar a algo ou se diminuir. O foco é seguir o seu caminho com mais leveza e consciência.