SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: (14) 3433-4922

Ou agende pelo WhatsApp:

Você está em: UNIDADE MARÍLIA

Existem muitas controvérsias no que dizem respeito sobre a libido durante a gravidez. Algumas mulheres relatam estar com a libido à flor da pele, já outras se queixam de não sentir a mínima vontade.











Mas então, o que será que acontece nesse período tão especial na vida de uma mulher? A verdade, é que o desejo sexual na gestação funciona como uma montanha russa. Há momentos que ele vai estar no seu ápice, ora ou outra irá se estabilizar temporariamente, já em outros irá sofrer uma queda brusca.

Todo esse vai e vem se deve principalmente as mudanças hormonais próprias da gestação e, em parte, aos medos, preconceitos ou falsas crenças. Há uma mistificação, por parte de algumas religiões e culturas que situa a futura mãe como uma figura pura e assexual. O que explica o afastamento do parceiro em alguns casos, manter conter o contato com a parceira física nesse momento seria considerado uma espécie de “pecado”.



As mudanças ocorrem de acordo com cada trimestre da gravidez


Primeiro trimestre

Por conta das mudanças mais acentuadas e dos sintomas mais intensos, é natural que a libido sofra uma queda. 



Segundo trimestre

O jogo vira totalmente, pois os enjoos e o cansaço diminuem e a grávida encontra-se radiante, com as suas novas curvas magníficas, os seios maiores e mais redondos do que nunca e, ainda por cima, com o aumento de irrigação sanguínea na região pélvica há uma maior sensibilidade nos órgãos genitais, o que também faz com que a mulher esteja mais sensível e receptiva ao prazer.



Terceiro e último trimestre

O peso e volume da barriga se faz mais presente, tornando o sexo mais desafiador. É perfeitamente normal que o desejo caia, já que o seu organismo necessita de descanso e, psicologicamente, se está a preparar para o parto.



O sexo pode machucar o bebê?



Decisivamente, essa é uma dúvida que assombra a maioria das futuras mamães, mas vamos esclarecer isso agora. Se a gravidez for considerada estável, sem complicações, o sexo não apresenta risco algum para o bebê. Pelo contrário, pode até aproximar o casal e fortalecer os laços. As relações sexuais geralmente são restringidas em alguns casos mais específicos como risco ou histórico de aborto espontâneo, risco de parto prematuro, sangramento vaginal antes da causa ser conhecida, placenta prévia (também chamada de placenta baixa), ou quando a placenta está cobrindo o colo do útero entre outros casos. O ideal é conversar com o seu médico.