5 consequências de comer rápido que afetam sua saúde | SOS Dr
SOS Dr

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Já possui cadastro? Acessar conta!

E-mail ou senha informados está incorreto.

Não é cadastrado? Cadastre-se agora!

Titulo Teste

Para realizar o agendamento ligue: 0800 580 9771

Ou agende pelo WhatsApp:

As obrigações infinitas assaltaram sua tranquilidade. Os ponteiros do relógio parecem mover-se cada vez mais rápido. O barulho do garfo não para: você nunca percebeu sua capacidade de mastigar tão rápido.


Mas espere: você está prejudicando sua saúde.


Deixe os talheres sobre a mesa; leia este artigo e aprenda sobre as terríveis consequências de comer rápido.


Talvez seja um hábito que você tem desde a infância ou que você adquiriu por estar muito ocupado na escola ou no trabalho.


Embora agir assim pareça ajudá-lo a terminar mais cedo e a se concentrar nas tarefas que requerem sua atenção, alimentar-se a toda velocidade trará mais problemas a curto e longo prazo. Além do mais, pode até causar doenças fatais.


A resposta à pergunta "comer rápido faz mal à saúde?" Sempre será sim, mas vamos ver por quê.




# 1 Indigestão


Comer rápido é um caminho direto para a indigestão. Entre seus principais sintomas estão azia e peso. Às vezes, são tão agudos que podem ser confundidos com um ataque cardíaco. O estômago embrulhado diminui quando o corpo termina de digerir os enormes pedaços de comida que você comeu.


Existem vários fatores que causam indigestão, tais como: comer rápido, comer muito, comer pratos com alto teor de gordura ou comer em situações estressantes. Portanto, é importante ter cuidado, pois é possível que todos os cenários acima sejam apresentados ao mesmo tempo. E seu estômago não ficará agradecido.




# 2 Ganho de peso


O cérebro e o estômago trabalham em sincronia para controlar o apetite. Enquanto um manda o sinal de que você está satisfeito, o outro interpreta para dizer para você abaixar a colher.Este processo não é instantâneo; na verdade, leva cerca de 20 minutos para o estômago dizer ao cérebro que você já bebeu o suficiente.


Por esse motivo, se você comer muito rápido, terá consumido muitas calorias antes que seu estômago diga ao cérebro que não precisa delas. E todos nós sabemos que o excesso de calorias se traduz em quilos indesejados, que podem facilmente ir de um pouco acima do peso a perigosamente obesos.




# 3 Aumenta o risco de asfixia


Ao comer rápido, o risco de engasgar é maior porque a comida não é mastigada corretamente, o que pode ficar preso na garganta e causar asfixia e até a morte.


# 4 Dissociação de sinais


Quando você come muito rápido, para de ouvir o seu corpo. Isso o leva a perder a noção se está com fome ou satisfeito. Com o tempo, você não é mais sensível aos sinais de apetite e saciedade, então começa a ser guiado por impulsos ou desejos emocionais. Nunca são bons conselheiros, porque não levam em consideração as suas necessidades nutricionais: apenas as sensações que os pratos despertam em você.


Como a comunicação entre o estômago e o cérebro leva 20 minutos para ser concluída, tente fazer suas refeições durarem pelo menos esse tempo.


Leve em conta estas consequências, encontre nas suas refeições uma oportunidade de fruição: delicie-se com os sabores, maravilhe-se com as diferentes cores...


Comer é ótimo sem exagerar.




# 5 Síndrome metabólica


Essa é uma das consequências mais sérias e de longo prazo de comer muito rápido. Embora comer depressa não o deixe doente imediatamente, pode começar um efeito de bola de neve - o que começou como um pequeno hábito, eventualmente se transforma em uma enorme esfera de problemas.


Um estudo científico realizado descobriu que as pessoas que comem devagar são menos propensas à obesidade e a sofrer de síndrome metabólica. Essa condição envolve um conjunto de problemas de saúde que, por aparecerem interligados, aumentam as chances de sofrer de outras doenças mais perigosas.


Devemos ter cuidado com a síndrome metabólica, pois nem todos os pacientes apresentam os mesmos sintomas, o que faz com que os sinais passem despercebidos ou se acredite que reflitam um único distúrbio. Dois dos mais comuns são uma grande circunferência da cintura e um alto nível de açúcar no sangue.


Outras condições que caracterizam a síndrome metabólica são: hipertensão, excesso de gordura corporal e níveis anormais de triglicerídeos e colesterol (lembra que a indigestão costuma ser acompanhada de comer muito, muito rápido e muito gorduroso?). Essa combinação terrível pode resultar em doenças cardíacas, acidentes cardiovasculares (como ataques cardíacos) e diabetes tipo 2.


A boa notícia é que, com algumas mudanças, é possível controlar a síndrome metabólica e prevenir as doenças que a acompanham.


Você pode imaginá-los: ter uma dieta balanceada, praticar exercícios regularmente, parar de fumar, perder o peso extra e aprender a controlar o estresse.




Como posso parar de comer tão rapidamente?


Reduzir a velocidade com que você come é um dos propósitos mais fáceis de falar do que fazer, especialmente se for um hábito que você tem desde que se lembra. Mas que seja difícil não significa que seja impossível. Um problema que a sociedade moderna tem é que considera a hora das refeições quase como uma tarefa que você deve cumprir porque sabe que tem que fazer, mas quer terminar rapidamente para continuar com o seu dia.


É por isso que também tendemos a nos alimentar enquanto realizamos outras atividades, como assistir televisão, verificar redes sociais ou até mesmo trabalhar.


Para prestar atenção aos ingredientes dos nossos pratos e à forma como os colocamos na boca, as técnicas de mindfulness são grandes aliadas.


Mindfulness é um tipo de meditação que o convida a viver plenamente o momento presente. Mesmo que você não esteja relacionado a esse tipo de atos reflexivos, você pode usar suas ferramentas para melhorar sua saúde e, aliás, diminuir o estresse.


Propomos 8 pontos que vão desde o momento em que você compra a despensa até o momento em que prova o prato final:


  1. Não compre ingredientes apenas por um desejo impulsivo. Considere o valor nutricional de cada produto antes de colocá-lo no carrinho e dê preferência aos alimentos frescos aos processados.
  2. Não espere ter uma fome enorme para se sentar para comer, faça-o quando sentir fome. Dessa forma, você não vai comer com muita pressa para preencher o vazio.
  3. Sirva-se em pequenas porções.
  4. Seja grato pela comida à sua frente. Nem todas as pessoas têm a possibilidade de saborear uma refeição como a sua.
  5. Aromas, cores, texturas, sabores e até sons: procure identificar todas as sensações que o seu prato desperta em você. Saboreie e aproveite cada momento.
  6. Não encha a boca de comida, dê pequenas mordidas.
  7. Mastigue bem a comida (a média é cerca de 20 a 40 vezes).
  8. Coma devagar, concentrando-se na comida antes de falar ou pensar em qualquer outra coisa.


Se você sempre foi uma pessoa que come rápido, essas dicas ao enfrentar um prato de comida devagar podem te ajudar a se alimentar melhor e que sua saúde não seja prejudicada.


Desligue a televisão, coma em um ambiente silencioso, coma alimentos sentados à mesa, mastigue os alimentos mais conscienciosamente e mais vezes para digeri-los melhor, não olhe para o seu celular enquanto come e, claro, e como diriam os cientistas japoneses, aproveite cada mordida como se fosse a última.